Arte

Eu tenho muita arte dentro de mim.
Sou uma criança com vontade
de brincar toda minha vida.

No arte encontrei remédio
para jogar neste mundo,
até quando não é permitido.

Eu acho que todo artista,
tem algo no interior, que o faz,
estar ele ou ela em movimento.

Eu sou um pesquisador,
que não gosta,
do método da sabedoria.

Como é que vamos a ser mais felizes?
Como é que vamos a fazer um mundo mais bonito?
Como vamos a trabalhar juntos para conseguir isso?

Estou a começar por dois conceitos.

Arte e Comunidade.

Artistas, o espaço é nosso,
para conceber nele,
nossa imagem da beleza.

Eu estou sempre,
na procura de artistas,
para brincar, tecendo,
um mundo extraordinário.

Mudar as realidades
em deleitáveis cenários.
Desenhar o mundo
em novos cores.

Fazer manifestações de sorrisos,
para que as gentes cheias de ilusões,
possam expressar, o seu olhar de vida,
nos nossos espaços comunitários.

Difundir a arte,
até que todo o mundo,
seja convidado a criar.

Compartilhar ondas, até ser mar.

Anuncios

Feliz Navidad

Hoy es Navidad y como cada dos años han venido mis hermanos, mis sobrinos y mis cuñadas a comer.

Junto a los de la casa mi mamá, mi papá mi hermana y yo.

Verles a todos y a todas, estar con ellos y ellas es mi momento preferido y lo que más ilusión me hace en Navidad.

Les quiero mucho.

Desde el año pasado decidí hacer otra clase de regalos, regalos más allá de lo material, regalos desde el corazón desde otra parte de mi.

Aprovechando que el año pasado acabé la carrera de psicología, les he preparado una pequeña dinámica de amor propio y una poesía.

La dinámica consistía en escribirse algo hermoso a uno miso, a una misma. Para luego ofrecértelo a ti mismo, a ti misma.

Después de escribir han decidido leer lo que ha escrito cada uno, cada una. Ha sido realmente hermoso. Me quedo con la frase. “Me gusto como soy”. De uno de mis sobrinos.

El poema ha sido el siguiente:

 

CUÍDATE.

Cuídate.
Eres el ser más importante de tu vida.
Que los miedos no frenen tu felicidad.

Constrúyete, porque incluso si piensas
que amas más a otra persona, que a ti mismo.

Sólo podrás compartir con ella, con él,
los jardines que vayas plantando, cuidando
y regando en tu interior.

Porque nadie puede dar lo que no tiene.

Esto es para ti, para que te recuerdes,
te riegues con tus sueños e ilusiones.

Portugal sorri

Portugal sorri.
Portugal sorri porque tem uma caneta
e esta a aprender a escrever.

Portugal sorri.
Portugal sorri porque tem crianças
no parque que jogam com ele.

Portugal sorri.
Portugal sorri porque tem pais que
abraçam-se na rua e beijam-se na casa.

A casa é muito tranquila à noite,
é por isso que a esta a surpreender,
as vezes que alguém toca a campana.

Ding Dong! Que susto enorme!
Aliás, um cão começou a latir. Guau, guau!
A casa ficou assustada de novo.

A família abriu a porta,
mas entrou um menino que ela não conhecia
e a casa ficou surpresa.

Quem é o menino que entra?

A menina ficou a enfadar porque
os pais chamarem ela para jantar.
Ela estava a jogar com não queria ir.

Por isso, os pais da menina convidarêm ao menino a jantar.

O jantar foi baratas vermelhas,
toda a família ficou com um asco terrvel.

Buaggh. Eu não quero comer de isso.

Não preocupe, temos sobremesa de vermes.

Buaggh. Eu não posso comer de isso.

Não preocupe porque temos chocolate.

Yumm eu gosto.

O menino foi a comer chocolate,
Mas a mãe acordou a ele.
Todo foi um sonho.

O menino ficou triste, triste
porque o chocolate desapareceu,
desapareceu a menina e a sua família.

O menino começou a chorar.
A mãe perguntou.
Porque choras filho?

O menino contou o seu sonho.
Enquanto que o menino contava o sonho,
ele ficava mais e mais contento.

A mãe e o menino abraçam,
e tomam o pequeno-almoço
O dia esta a começar.

Sorri, sorri Portugal.

 

 

 

 

Fogueiras Internas

Temos fogueiras internas.
Convidam à entrar ao lar.

Temos chuva que dá,
o verde chama,
temos acendido o sentimento da vida
e estamos a escutar que esta a dizer.
Porta aberta,
a quem tenha vontade de falar,
porta aberta ao desenho.
Porta, tivemos sempre a comida parada na mesa.
tempo do almoço,
venha que estou a olhar o teu brilho.

Entra que o pão esta no forno.
Entra, tu és o protagonista neste filme de todos,
onde todos nós somos protagonistas.
Vem, não tenhas vergonha a errar,
neste espaço de improvisação,
é tempo de mostrar as fogueiras internas.

Acentos (poesia infantil)

Olá queridos e queridas.

Eu sou Alejandro de Espanha o vosso vizinho.

Sim, sim, nós estamos muito perto em distancia e em linguagem.

Eu apanhei o avião e chegue aqui sem problema nemhum.

Até eu conheço gente que apanha o carro, vão e voltam,
de Espanha a Portugal e de Portugal a Espanha.

É tudo muito rápido, não da tempo nem de fazer xixi nem coco no carro.

É por isso que os pais gostam de ir.

As palavras são como irmãs.

Vocês aqui são meninos e meninas, miúdos e miúdas.

Na Espanha são “niños” e niñas”, “chiquillos” e “chiquillas”.

Os mais novos que vocês são, ca e lá, chamados de bebés.

Mas, temos algo que é muito, muito, muiiiiiiiiito, diferente.

Os acentos.

Porque na Espanha nós só temos o acento agudo.

É muito fácil de lembrar.

Mas, aqui vocês têm um chapéu, o acento circunflexo, ele faz
as vogais elegantes nos textos e fecha elas no seu som.

Avô.

Têm um sopro de vento que sai da nariz. Nossa amiga til.
Ela é a onda que faz dançar as vogais.

Camaleão.

Ali, vocês têm o acento agudo, mas aqui ele
esta a esticar as vogais abrindo o seu rumor.

Olá.

Ainda têm o acento grave que mira na outra direcção.

Àquilo.

Que dor de cabeça meus amigos, minhas amigas.

Quem pode lembrar tanto acento?

Escuela de la vida

Todos y todas pueden venir.

Esta es la escuela de la vida.

Hay personas bonitas en cada lugar,
inspiradoras hogueras de savia.

Tu fuego me alimenta,
me siento vivo cuando brillas.

Si tengo las herramientas
erijo la escultura de mis días.

Si no las tengo, las busco y las fabrico.

Vida en comunidad y auto-gobierno.

Libertad y alegría.

Expresión de la vida interna.

Si cada quien es escuela,
en cada gesto que recojo,
un acto de amor.

En cada sonrrisa,
en cada poesía,
un acto de amor.

ReCuentos

Parece que cada vez seamos más infantiles.

Nos noto despreocupados,
como si hubieramos
descubierto un gran secreto,
que presionaba en contra.

Y ahora, pudiésemos descansar del esfuerzo.

Vivir, lo mejor que se pueda,
agradablemente acompañados.
Hacer monumento, presencia,
convivencia y buenos tratos.

Están tan guapas las personas felices.

Deconstruyendo idearios de belleza.
Exponiendo firmes convicciones,
sobre la hermosura, resultado
del amor sintiente por la vida.

Infinita importancia compañeros/as, convivir y conoceros.

Infinita importancia que algún día, ojalá, pueda ofreceros.